quarta-feira, 9 de julho de 2014

Futebol se faz com escolas, hospitais e honestidade.

 Para evitar traumas e discussões (das quais já estou farta) esperei passar esse período que antecedia a Copa e o período da própria, afim de fazer algum texto a respeito. Levando em conta também o fato de aguardar os resultados da Copa, ver se acontecia alguma manifestação ou pancadaria me fez pensar muito a respeito e poder chegar num consenso mais sossegada. Então vamos lá...


 Temos um País revoltado por todos os fatos que sucederam essa Copa do Mundo e chegar até o evento foi um grande sufoco. Superfaturamentos, obras inacabadas e o bom jeitinho brasileiro imperando sempre: tanto que ainda há obras "para a Copa" inacabadas e mesmo assim os jogos aconteceram normalmente nesses estádios. 
 E como falar da Copa sem mencionar os"grandes pensadores"? Pessoas como Ronaldo Fenômeno e Pelé demonstraram que como cidadãos brasileiros patriotas são excelentes ex-jogadores. Ou seja, de boca fechada eles valem muito mais. Enfim, com revolta ou sem revolta a promessa da Dilma foi levada até o fim e a Copa aconteceu com uma imensa normalidade que todos já previam. 
 Eu que não entendo nada de futebol fiz questão de assistir aos jogos do Brasil para me divertir e também para poder criticar depois. E, pelo pouco que uma pessoa leiga pode entender, vi que antigamente tínhamos em campo muito mais garra e raça do que o que tivemos nos jogos da nossa Seleção. Com exceção dos Neymares e Tiagos Silva da vida, nossa Seleção se mostrou um tanto quanto confiante demais por estar jogando em casa e um pouco leviana na maneira de defender um título.
 Até que ontem a tarde (08/07/2014) a Alemanha deu uma senhora de uma surra no Brasil, em campo, e fez cair por terra todo aquele "mimimi" de que a Copa estaria sendo comprada. Deixando as teorias da conspiração de lado, devemos levar essa derrota humilhante como exemplo não só em campo, mas em todos os âmbitos da nossa sociedade brasileira.
 Acostumados com uma educação que exige pouco ou quase nada dos seus alunos, e com os serviços públicos de péssima qualidade, enraizados numa sociedade onde a corrupção e a desonestidade estão no nosso sangue (negue isto quem for muito cara de pau), ontem podemos ver o quanto os fatores que nos faltam no País podem repercutir também no futebol. Aí podemos calar a boca de muitos ex-jogadores com "Não se faz Copa com hospitais".
 Sim, senhor Fenômeno. Realmente a Copa é feita com estádios, metrôs, complexos esportivos e aeroportos modernos, porém o que ninguém lembrava é que os jogadores são seres humanos e vieram de uma sociedade onde furar fila e adulterar coisas é lindo e plausível. Com raras exceções, os nossos jogadores se esqueceram que o jogo é para ser feito em equipe e não sozinho. Daí a saída do Neymar e do Tiago Silva ter desestabilizado tanto o time. Vejam bem, não estou dizendo que somente esses dois jogadores prestam. Mas vamos ser sinceros e lembrar de quem realmente fez gols durante esta copa.
 Outro ponto que devemos aprender com a derrota alemã é que "heróis" são aqueles que fazem a diferença, amam sua pátria e lutam para mudá-la. Então já está mais do que na hora de o povo brasileiro deixar de intitular as celebridades de "heróis". Herói é você que paga imposto alto, juros abusivos, levanta todo dia bem cedo para trabalhar e se manter, e ainda consegue sobreviver num País corrupto, desonesto e sujo sem agir dessa forma. Os demais são pessoas de sorte que vestem a camisa verde e amarela a cada quatro anos.
 O que me entristeceu é ver o povo confundindo patriotismo com torcida de futebol a ponto de queimar a bandeira do Brasil após o jogo contra a Alemanha. No mínimo esses cidadãos merecem o governo que têm! Agora devemos voltar nossos olhares para a nossa realidade e ficarmos atentos com o "pós-Copa do Mundo" onde os políticos disputarão o poder como leões brigando por um belo pedaço de carne.
 Mas lembrem-se: uma sociedade corrupta não é só corrompida por seus governantes, mas também pelos cidadãos que nela habitam que de uma forma ativa ou passiva, aderem a essa corrupção e desonestidade. Se queremos mudar um País inteiro devemos começar mudando nossos hábitos e vícios.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Nota de esclarecimento: Voto Nulo!


 Sou colunista mensal aqui no "Teen Colunistas" e deveria escrever uma vez por mês, mas me sobrecarreguei com atividades da faculdade, do trabalho, meu trabalho de modelo, a catequese na Igreja e o meu blogue pessoal, então atrevo-me a dar meus "pitacos" por aqui quase que mensalmente com algumas folgas espaçadas.
  Meu último post data do feriado do dia 1º ainda deste mês. E o que me fez voltar aqui no mesmo mês foram dois os motivos: 1) recebi uma mensagem no Whatsapp que falava sobre uma campanha para as eleições 2014, que se aproximam, onde todos devem votar NULO para anular a eleição. 2) Tenho prova de Direito Constitucional amanhã e estudei um pouco disso, e o Brasil precisa saber o quanto essa mensagem que está correndo pelo Whatsapp é falsa.
 Então, ao invés de um texto crítico e ácido sobre a política no Brasil teremos uma nota de esclarecimento. Pois, na condição de atual estudante de Direito e futura agente dos meios de comunicação, acho que é meu dever fazer com que entendam o que nosso ordenamento jurídico nos traz.
 Basicamente, a mensagem que recebi no Whatsapp dizia que é previsto em lei que se 50% + 1 dos eleitores votassem NULO nas eleições para presidente, além das eleições serem canceladas, os candidatos serão inelegíveis automaticamente. Como não há nenhum embasamento legal na mensagem que comprove que isto realmente é possível, lembrei-me do que disse meu professor de Constitucional uma vez sobre esse mesmo tema: "Meus caros, uma eleição é feita pelos votos válidos. O que não conta nulos e brancos." E, coincidentemente, estudei um artigo que falava um pouco sobre isto. Uni o que estudei ano passado sobre Direito Políticos e resolvi fazer este texto para o bem de vocês.
 O Artigo 77 da Constituição nos fala sobre as eleições do Presidente e o Vice-Presidente da República. E em seus parágrafos 2º e 3º, temos:

"§ 2º - Será considerado eleito Presidente o candidato que, registrado por partido político, obtiver a maioria absoluta de votos, não computados os em branco e os nulos.§ 3º - Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na primeira votação, far-se-á nova eleição em até vinte dias após a proclamação do resultado, concorrendo os dois candidatos mais votados e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos válidos."
 Ou seja, os votos brancos e nulos não são computados e não serão motivo para invalidar uma eleição. 
 A segunda parte da mensagem do Whatsapp que me deixou inquieta foi a que falava que se a eleição tivesse 50% +1 dos votos anulados,  os candidatos seriam considerados inelegíveis instantaneamente e não poderiam mais concorrer por um período de oito anos. Novamente sem embasamento legal, fui procurar o que estudei ano passado sobre as questões de Inelegibilidade dos candidatos quando do estudo dos Direitos Políticos. 
 Então temos: quanto à inelegibilidade absoluta somente o que diz respeito às questões pessoais (conf.:  CF/88, Art. 14, 4º - São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos). E quanto à inelegibilidade relativa: em razão do cargo e em razão de parentesco estão relacionadas à chefia do Poder Executivo, podendo ser afastadas mediante desincompatibilização (conf.:  CF/88 - Art. 14, 6º e 7º)*

"§ 6º - Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.
§ 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição."
  
 Ainda na Lei Complementar nº 64/1990 que fala sobre outros casos de inelegibilidade, não há previsão para casos em que a eleição tenha metade mais um dos votos anulados. Ou seja, além de votos nulos não serem computados, não surtirão efeito sobre os candidatos daquela eleição.
 E no final da mensagem do Whatsapp sobre os votos nulos, há uma pergunta: "Isso a mídia não mostra! Ligue no Congresso, no Senado, ou no Estadão, no Folha de S. Paulo, no jornal O Globo e pergunte por que isso não é de conhecimento do povo ainda?"
Então ouso a responder a essa criatura que fez tal mensagem: Muito simples, o povo não tem conhecimento disso pelos meios de comunicação ou pelos governantes simplesmente porque isso não é verdade e nem é possível.
 Nem sempre a mídia é a vilã da história e o povo só acredita naquilo que quer acreditar, no que é mais fácil e mais conveniente. Porém, a verdade deve ser dita e os fatos têm que ser esclarecidos: essa balela de "Campanha para anular eleição com votos nulos" é uma total piada e o brasileiro só acredita nisso por ter preguiça de se informar melhor.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Brasil 2014: deixe que as charges expliquem tudo.

2014, o ano da Copa do Mundo no Brasil! Ano das eleições! Ano em que o Brasil mostrará ao mundo sua cara, como dizia o cantor Cazuza em sua música. Mas, será que o mundo está preparado para ver a verdadeira face de um País em desenvolvimento que tem muito a revelar? Vamos ver...


Enquanto a preocupação geral da nação é se a Copa do Mundo sairá como o planejado mesmo (se é que foi planejada) e se acontecerão manifestações durante os jogos, pois isso acabaria com a alegria da nação e dos gringos dentro dos estádios, a Petrobras está às margens da falência e tudo está sendo "contornado" e "abafado" para que os olhares estrangeiros não vejam o tamanho do problema com a maior estatal do País, pioneira em energia e abastecimento.


Enquanto o povo - que votará em Outubro - está preocupado se os jogos pararão mesmo o País no mês de Junho e acreditam na inverdade de que a Dilma está caindo na pesquisa do Ibope para essas eleições, quem não quer largar o osso é o nosso "bom velhinho" Lula que "melhorou a condição de vida do País, pois o povo conseguiu um maior poder de compras e teve muitas políticas sociais favoráveis" ou seja, continuou com o paternalismo nojento de dar aos pobres o que eles mais querem sem ensiná-los a trabalhar. 


E enquanto a segurança nacional é assunto de primordial importância para o momento da Copa do Mundo, deixamos de analisar criticamente a questão de que a nossa Dilmona escalou para fazer a segurança da Copa do Mundo a Polícia Moçambicana (a mais violenta do mundo). 
 Primeiro foi a área da saúde, defasada e sem condições de continuar, o Governo optou "inocentemente" por trazer os "médicos" cubanos para ajudar o País com a crise na saúde; agora trazem a Polícia Moçambicana para cá; ainda financiam portos de Cuba (País comunista). E a nossa Segurança Pública? Vai de mal a pior cada dia que passa, com a Polícia Militar sendo defasada propositalmente cada vez mais. E, consequentemente, somos treinados diariamente a achar que a culpa por qualquer tiro perdido é da P.M enquanto uma guerra civil vai sendo instalada silenciosamente ao longo dos anos nas favelas.
 Eu sinto cheiro de comunismo se instalando no ar, vocês não? 



E você aí, caro leitor, achando que o mal do ano de 2014 era realmente a Copa do Mundo. 
Boas eleições a todos! E pensem antes de votar! 




quarta-feira, 5 de março de 2014

Papo de Nerd: Batman: Arkham Knight

Batman o cavaleiro das trevas, o cavaleiro de Gotham e agora também O Cavaleiro de Arkam, sim meus amigos um novo, e ultimo, jogo da franquia de Batman está vindo, e as expectativas é claro, aumentam já que o desfecho deve ser o melhor, o mais surpreendente e o mais eletrizante de todos os jogos.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Confissões de uma garota (ainda) apaixonada - Deixe seu coração partir pela primeira vez



Acredito que nunca te disseram que seria fácil. Conhecer alguém, pela primeira vez abrir seu coração. Esse tipo de coisa não vem com manual.

Ninguém nasce sabendo e acredito que algumas decepções e corações partidos são maneiras que a vida arruma de te fazer acordar pra realidade. Deixe seu coração partir pela primeira vez. Garanto que ninguém morre de amor. Você vai chorar muito durante a primeira semana, na segunda você vai chorar só na hora de dormir, na terceira não vai mais chorar todos os dias e seu coração vai sentir uma dorzinha tímida, alguns meses pra você se lembrar dele apenas de vez em quando e depois disso perceberá que tudo na vida passa.

O que não pode acontecer é você se perder de si mesma. Cada mulher tem um mundo particular pra administrar, um poder imenso de sobreviver e dar a volta por cima. Não deixe alguém entrar na sua vida e enfiar na sua cabeça que você não poderá mais viver sem ele. Além disso, nascemos completas. O que precisamos pra sobreviver é apenas alimento e oxigênio. Só.

E, outra coisa que você precisa saber, amor não é isso que ele vive te dizendo toda vez que pede desculpas pelo erro que cometeu pela centésima vez, amor é companheirismo, compreensão, liberdade, respeito. Isso aí que ele diz é dependência.

Deixe seu coração se partir. Dê lugar dentro dele pra se encher de si mesma. Livre-se do medo e dá angústia. Deixe de viver pra outra pessoa. E depois descubra o mundo que há a sua volta.
Porque um dos principais caminhos para a felicidade é amar a si mesmo.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Confissões de uma garota (ainda) apaixonada - Tinto


Quem diria, nós dois aqui de novo, na mesma situação de antes, reclamando da vida, você com olheiras e eu com a maquiagem borrada, um carregando o outro como nos velhos tempos.
Há uns meses eu passava a madrugada te consolando e te obrigando a me ligar todas as noites pra certificar de que você estava vivo, hoje é você quem seca minhas lágrimas e tenta me fazer rir com algumas piadas sujas.
Mas você gosta de restaurantes finos onde é bem atendido e pode ir lá encher a cara sempre que precisa. Você tem dinheiro pra comprar um carro a cada vez que entra em depressão. Você tem dinheiro até pra comprar uma namorada nova, se quiser. Pra você é tudo tão simples e imediato.
Hoje eu consegui abrir o vinho sozinha, estou ficando forte. Logo vou levantar desse chão frio, limpar a maquiagem borrada e começar o processo de superar mais um coração partido. Sonhar com ele e você, com ela.
Querido, tantas noites te ajudando a não tomar aqueles calmantes fortes e hoje estou aqui com eles, os de faixa preta e o vinho.
Tinto.
Eu vou beber, ler, por Caetano pra tocar, as lágrimas vão secar sozinhas enquanto esperamos que amanhã seja melhor, pra nós, amigo. Pra nós. 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Quem são os culpados pelos rolezinhos?



 Primeiramente, peço uma breve desculpa pelo meu sumiço imensamente silencioso deste espaço. Caso queiram entender o porquê desapareci tanto tempo assim da atmosfera dos blogues, confiram neste post aqui.
 Mas, como sou uma escritora muito boazinha, voltei com tudo e o tema que trataremos hoje é um dos meus favoritos: a nossa geração idiotizada pela mídia e os "rolezinhos".
 Outrora fiz alguns textos lá no Mundo Ninna sobre a nossa geração de "aborrecentes" e jovens que vem sendo idiotizada ao longo do seu processo de formação, mas todo o "mimimi" dos "rolézinhos" fez-me enxergar uma outra realidade que não a da influência midiática sobre nós.
 Já ouviram àquela música do Ultraje à Rigor "Nós vamos invadir sua praia"? É a história de uma galera de classe média baixa que chega "detonando tudo" na praia dos ricos e seria um prato cheio para dar margem à várias discussões sobre o contexto social que tal música relatou nos anos 80. Fora esse discurso todo da esquerda sobre "oprimidos pelo capitalismo", podemos livremente transpôr a música do Ultraje à Rigor para os dias atuais com algumas mudanças: "Nós vamos invadir o seu shopping."
 Essa moçadinha toda afetada que está dando dor de cabeça para as autoridades e os lojistas é marcada por um apelo muito grande a serem notados a todo o momento. Claro, as circunstâncias atuais exige isso de todos. Afinal, ter seus cinco minutos de fama tem alavancado a vida de muita gente sem talento.
 Porém, há uma causa para esses jovens quererem aparecer tanto assim e agirem tão levianamente. Que o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e os DHs me desculpem, mas faltou a essa gente apanhar quando criança.
 Exatamente! A culpa vem, primeiramente, dos pais deles que não foram capazes de impôr limites aos seus filhos. Esses pais, muito provavelmente, nunca diziam não aos seus pequenos porque ouviram muitos "nãos" na vida e não quiseram traumatizar seus bebês. Pois criaram eternos bebês, que fazem atos sem pensar nas consequências e darão continuidade a um ciclo vicioso.
 E por que estou generalizando todos eles de forma tão ridícula? Porque, meus senhores, eu apanhei saudavelmente quando criança e quando quis dar uma de rebelde sem causa. Não cresci traumatizada tampouco denunciei os meus pais, até porque corrigir é uma coisa e espancar é outra bem diferente.
 Se eles são influenciados pela mídia que os idiotiza com sua cultura de muito apelo sexual? Sim, são a todo o momento. Músicas que depravam a mulher, que exaltam a relação sexual transformando-a num ato animalesco, exaltação dos peitos e das bundas, muito BBB, novelas com valores deturpados... Enfim, temos um leque gigantesco no quesito cultural apodrecido do nosso País, que faz dessa gente reflexo daquilo que assistem, cantam e dançam.
 Por falar em reflexo, a parcela maior da culpa está sobre a família desses jovens e pré-adolescentes que permitiram e incentivaram tais costumes. Como conservadora que sou, serei sempre defensora da família natural (aquela formada por pai, mãe e filhos) e consigo enxergar, sem dramas, as grandes marcas que sua falta causa na sociedade.
 Em um post que compartilhei no Facebook, aquela entrevista com os jovens "rolêzeiros", fiz um comentário um pouco ácido dizendo o quanto a falta da autoridade dos pais é responsável por jovens tão levianos e inconsequentes. Com um comentário um tanto quanto "generalizador" da minha parte, uma pessoa comentou me criticando por ter generalizado a situação. E explico-lhes, pois, porque fiz assim.
 Os filhos são, nada mais nada menos, que o reflexo daquilo que têm em casa, num primeiro momento. Depois vão sendo moldados por grupos de amigos, escolas que frequentam e afins. Mas sempre carregam consigo a marca que trouxeram de dentro de casa, seja ela boa ou ruim. Religião, ideais políticos, gostos musicas, preferências televisivas, literatura, educação ou a falta dela. Portanto, é facilmente identificável quando um jovem foi muito bem criado pelos pais ou pela vida (porque muitos perderam os pais ou cresceram sem um deles, mas conseguiram se sobrepôr a isto). E, consequentemente, é também facilmente identificável quando um jovem traz de casa suas preferências pelo funk, o hábito de "pegar geral" nos "rolézinhos" e a crítica às autoridades que tentam se impôr. Obviamente, esses jovens não suportam os limites que as leis lhes impõe porque não tiveram limite algum dentro de casa e nunca enxergarão isso com bons olhos. Mais óbvio ainda é notar pelas falas pouco elaboradas o quanto não tiveram o apoio dos pais para que estudassem e seguissem uma vida um pouco melhor.
 Falo e repito: sem uma família que nos sustente, nos de valores e nos ensine a viver, não seremos nada! Portanto, é muito mais fácil culpar somente à mídia e às autoridades do que tocar num assunto tão delicado que é a família no contexto da sociedade em que vivemos hoje, onde tudo é relativo e permitido. Mas, como li uma vez no Facebook: "Cuidado! Cabeça muito aberta, o cérebro cai."
 Concluindo, se esses jovens "rolezeiros" tivessem tido limites desde crianças, saberiam que viver inconsequentemente pode acabar com suas próprias vidas. E se gastassem o tempo que ficam nos shoppings estudando, dariam uma entrevista melhor ao site da Uol. Pais, vocês falharam com esta geração. E eu não me sinto uma "monstra" por tê-los generalizado no meu Facebook.